Crônica da Semana: William e Jaque

sexta-feira, 19 de junho de 2015 Postado por: Maria Carolina Costa COMENTE!

[caption id="" align="aligncenter" width="780"] William e Jaque *-*[/caption]

Jaqueline estava se formando em publicidade e decidiu ir à um restaurante do tipo steakhouse com os colegas de trabalho para comemorar sua contratação, finalmente ela deixou de ser uma estagiária para iniciar a carreira que tanto sonhou.

Ela sempre se planejou para tudo e sua carreira já estava planejada há anos, portanto, é claro, que no dia em que foi contratada ela já havia programado tudo, inclusive a reserva neste restaurante em especial para poder comemorar com seus colegas. Ao chegar lá cada um escolheu o que havia de mais gostoso que havia no cardápio, desde hambúrguer com batatas fritas até costela de porco regada à molho barbecue.

Desde o momento em que chegou, Jaqueline percebeu que um dos garçons não parava de encara-la, mas logo ela pensou que era apenas coisa da cabeça dela, mas ao mesmo tempo, achou ele lindo. Logo ele se dirigiu à mesa em que Jaqueline estava com seus colegas com um sorriso que chamou ainda mais a atenção dela, extremamente atencioso, anotou o pedido de todos, em poucos minutos, mesmo com o restaurante extremamente cheio, chegaram todos os pratos.

A todo momento ele passava pela mesa e questionava se Jaque e seus colegas precisavam de algo. Quando não parava na mesa, apenas olhava fixamente para ela e saía. Até que Bruno, o melhor amigo de Jaque, reparou na troca de olhares e brincou com ela, que desconversou, disse que era apenas impressão dele.

Quando todos estavam saciados pediram a conta, afinal, tinham mais quatro horas de trabalho pela frente, lá veio ele novamente, com aquele sorriso que, para Jaque, não era somente lindo, era de tirar o fôlego, e atendeu à todos e inclusive interagiu com todos que estavam presentes, respondendo as brincadeiras e dando risada. Tendo todos terminado de pagar ele disse:

- Agora só preciso de uma coisa! Seu telefone – disse olhando fixamente para Jaque.

Todos começaram a rir e Jaque extremamente envergonhada ficou mais vermelha que um pimentão, percebendo o desconforto da garota ele completou:

- Brincadeira pessoal, era só para descontrair, muito obrigada por virem ao Infront e tenham um ótima dia!

Jaque chegou da faculdade e só conseguia pensar uma coisa, naquele sorriso, além de todas as perguntas que pairavam sobre sua cabeça:

- Ele estava realmente brincando? Ele ficou me encarando mesmo ou foi só impressão minha? Será que ele trata todos os clientes daquela maneira? Porque estou me sentindo tão especial? Sou apenas mais uma cliente, ele deve falar isso para todas! Eu sequer sei o nome dele e ele não sai da minha cabeça...

E foi com a lembrança daquele sorriso que ela adormeceu.

No dia seguinte parou em uma padaria próxima ao seu trabalho, pediu um café e sentou-se em uma das mesas que se encontrava na calçada e começou a folhear um livro. Logo uma pessoa se sentou na mesma mesa em que ela estava e quando ela ergueu os olhos para ver quem era, lá estava ele, com aquele sorriso que ela ficou pensando durante toda a noite. Então ele perguntou:

- Você trabalha aqui por perto também?

- Sim – ela respondeu.

- Que coincidência não? Nos encontrarmos novamente...

- É – ela respondeu, então ele disse:

- Olha, não quero te assustar nem nada, se você estiver se sentindo incomodada eu saio, sem problemas.

Ela suspirou e pensou que talvez tudo aquilo estivesse acontecendo por algum motivo, principalmente ela ter ficado pensando nele durante todo o dia e noite anterior, então respondeu:

- Meu nome é Jaqueline, mas todos me chamam de Jaque! – ele sorriu novamente e respondeu:

- Oi Jaque, meu nome é William!

Jaque e William estavam vivendo os meses mais felizes de suas vidas, faziam o possível para se verem todos os dias e passarem o máximo de tempo juntos, mesmo com o trabalho e os estudos, William era estudante de engenharia de uma universidade pública, um verdadeiro crânio, mas havia algo nele que incomodava muito a ela, ele não queria saber de nada, queria ir vivendo, sem pensar no dia de amanhã. Enquanto ela fazia as contas do ano ideal para eles se casarem e terem filhos, ele nem se preocupava em procurar um estágio e iniciar a carreira de engenheiro civil.

Um dia eles discutiram feio, ela queria crescer e queria que ele crescesse junto com ela, ele queria apenas estar com ela, sem concessões. Ela cansou de tanto falar e ele nunca escuta-la então eles terminaram. Ela esperou que ele ligasse para pedir desculpas, mas isso não aconteceu, ele esperou que ela ligasse para pedir desculpas, mas isso também não aconteceu. Até que, ao chegar da faculdade, ele encontrou na caixa de correio um envelope marrom, ao abrir, encontrou um papel com letras douradas que dizia:

Jaqueline e Bruno vão se casar!

Havia ali as informações do dia, horário e local. Sem saber ao certo o que pensar ele pegou o telefone e ligou para ela e disse em tom irônico:

- Parabéns pelo casamento! – ela riu e respondeu:

- É preciso você achar que eu vou me casar para ligar para mim? Me encontra em uma hora no mesmo local em que nos vimos pela primeira vez. – ele riu e ficou impressionado com a criatividade dela, então respondeu:

- A essa hora vai estar cheio, vamos em outro lugar! – ela riu novamente e respondeu:

- Eu sabia que você ia me ligar, então tomei a liberdade de fazer uma reserva para nós.

Cada dia mais ele se admirava com a inteligência e criatividade dela e ela, a cada dia mais aprendia a amar alguém tão diferente dela.

E assim eles foram vivendo, inclusive, mês passado ele foi contratado para trabalhar em uma grande empresa de engenharia civil, pelo que soube, já estão até de casamento marcado.




Os nomes e a história são baseados em um casal real, a Jaqueline real é super criativa e organizada e o William real vive sorrindo, no entanto, apenas os nomes e estas características são reais, o restante é ficção.




Imagem retirada de: Blog Mundo Cristão