Dia dos pais: a gravidez de um pai!

domingo, 9 de agosto de 2015 | Comente!



Todos os dias são seus pai, mas esse é o dia que escolheram para homenagear os melhores pais do mundo. Agradeço a Deus pela família maravilhosa que ele me concedeu, vocês são parte da graça que Deus derramou e derrama todos os dias sobre a minha vida, favor imerecido de Deus, já disse e repito, não existe pai como você, você é o melhor de todos, e não sou só eu que digo isso. Tantas vezes já ouvi as pessoas dizerem que não existe um pai como você.









Eu te amo muito pai, obrigada por você e a mãe serem o meu porto seguro, vocês me fazem ver o quanto Deus me ama, do contrário ele não teria colocado tesouros tão lindos pra cuidar de mim!

Hoje eu queria escrever algo poético, algo que traduzisse o amor, a proteção, o carinho, a segurança, a paz, a alegria que eu recebi e recebo todos dias desse cara que mudou de nome quando eu nasci, que deixou de ser o Hélio, para se tornar Pai, para se tornar o meu Pai!

Mas é engraçado que nos momentos em que mais queremos escrever algo bonito, não conseguimos, então achei por bem compartilhar este lindo texto que fala sobre a gravidez de um pai, afinal, o pai pode não carregar seu filho na barriga por nove meses, mas o carrega no coração, não somente por nove meses, mas por toda a vida!












A gravidez de um pai não se dá nas entranhas, mas fora delas.

Ela se dá primeiro no coração, onde o sentimento de paternidade é gerado. Um desejo de ser e de se ver prolongado em outra vida, que seja parte de si mesmo, mas com vida própria. Imagino que deve ser frustrante a princípio. Durante toda a espera, um pai é um pai sem experimentar o gosto de ser, sem os inconvenientes de uma gravidez, mas também sem as lindas emoções que tanto mexem com a gente.

E quando ele sente pela primeira vez a vida que ajudou a gerar, tudo toma outra forma. Ele sente um chute e se diz já que este será um grande jogador de futebol. E muitas vezes se surpreende e se maravilha quando vê uma princesinha que sabe chutar tão bem. Mas tanto faz. Está ali um sonho que se torna palpável.

E um parto de um pai se dá quando ele pega pela primeira vez sua criança nos braços, quando ele se vê em características naquele serzinho tão miudinho que nem se dá conta ainda que veio ao mundo e que se tornou o mundo de alguém. E os sentimentos e emoções se atropelam dentro dele. E ele sente que, a partir desse instante, a vida nunca mais será a mesma. E ele precisa olhar dez, cem, mil vezes para acreditar que tudo não passa de um sonho. E geralmente há um enorme sentimento de orgulho que toma posse dele.

Assim se forma um pai. Pronto para ensinar tudo o que aprendeu da vida, um dia ele descobre que não sabe realmente muito, que na verdade aprende a cada instante. Diante da sua criança ele se torna um adulto vulnerável e acessível. E vai gerando, pouquinho a pouquinho, dentro de si mesmo, a arte de se tornar um pai.

Letícia Thompson

Feliz dia dos pais!