Diário de viagem à Nova York!

quarta-feira, 27 de março de 2019 Comente!

Eu devo confessar que mesmo agora, enquanto escrevo, ainda não acredito que tive a oportunidade de conhecer a capital do mundo, que pude, de fato, caminhar pelas ruas e conhecer os lugares que eu cresci vendo nas minhas séries e filmes prediletos. New York é realmente, um sonho!

Lá no meu canal compartilhei o vlog da viagem, tentei mostrar ao máximo as coisas para vocês mas preciso dizer que ainda tenho muito que compartilhar com vocês, quero contar tim tim por tim tim do que fizemos em cada dia e aproveitar para compartilhar tantos os aspectos positivos, como negativos.

Como foi o nosso voo?


Foi nossa primeira experiência com a American Airlines e no geral, foi excelente. Não sou do tipo de pessoa que tem medo de avião nem nada, também não estava muito preocupada com as longas horas de voo porque já fomos para Orlando e foi bem demorado também, mas como não viajo com frequência, uma vez ao ano somente, sempre sinto aquele friozinho na barriga, principalmente na decolagem e no pouso, momentos em que eu costumo apertar a mão do Rodolfo com um pouco mais de força do que o normal. 😬

Aproveitei para assistir alguns filmes que queria muito assistir mas não estão na Netflix, assisti o Homem Formiga e a Vespa e na volta assisti Uma Fenda no Tempo com a Oprah Rainha e meu crush desde 2006, Chris Pine (foi no filme Sorte no amor que conheci o Chris e a banda que foi trilha sonora de pelo menos uns 10 anos da minha vida, McFly 💕)! Assisti também Mamma Mia, acho a Lily James uma fofa!!!

Nesse post aqui, comentei sobre a alimentação no voo com mais detalhes, mas no geral foi muito bom.

Primeiro dia


Chegamos pelo aeroporto JFK um pouco antes das 7h da manhã, passamos por todo o processo da imigração que é algo que costuma deixar as pessoas bem nervosas, mas eles tinham vários totens onde você podia fazer o processo todo sozinho. Antes de iniciar você seleciona o idioma, e depois você pode escanear o passaporte, recolher as digitais, tirar foto e responder as perguntas de rotina.  Se não me engano, fizemos tudo em português.

Antes de sair você passa com um guarda que só pergunta o motivo e a duração da viagem, se prepare porque ele vai ser bem grosso. O guarda que nos atendeu fez a seguinte pergunta: o que você está fazendo aqui? Quando ele poderia apenas ter perguntado o motivo da nossa viagem. Perguntou também: quando você vai embora? Quando ele poderia ter perguntado apenas qual a duração da viagem. 😑

Embora ele estivesse sendo grosso, confesso que me segurei para não dar risada porque enquanto ele falava, atrás dele tinha uma foto do Donald Trump com uma cara tão feia que daria pra usar pra espantar mosca. 😂

Saindo de lá pegamos nossas malas, graças à Deus não tivemos problema nenhum com elas, então nos dirigimos ao Airtrain (mas eu gosto de chamar de aerotrem 😁) nesse momento fiquei super feliz que estava conseguindo entender tudo, inclusive ajudei um casal nativo que só falava inglês mas estava perdido, do aerotrem fizemos baldeação para o metrô e foi nesse momento que nos demos conta de que já não estávamos mais no Kansas, quer dizer, em Cajamar 😅, pensa em um vento gelado, cortante! 💨

Pegamos o metrô e nos dirigimos para o Grand Central para esperar o nosso host liberar o Airbnb porque acabamos chegando antes do horário de check-in. E quando saímos do buraquinho do metrô, sim gente, pra achar o metrô é fácil, só entrar em algum buraco que você sai no metrô, pra quem passava no buraquinho da Lapa em SP todos os dias, foi fichinha. 😂

A neve
Mas como eu dizia, enquanto subia as escadas para sair do buraquinho da Lapa, minto, do metrô 😅, comecei a ver algo parecido com sal nas escadas, Rodolfo ainda me perguntou o que era aquilo e logo eu pensei, será que é neve? Ao emergir do buraquinho do metrô dei de cara com aqueles prédios imponentes e NEVE! Sim senhores, NEVE! Assim que entramos no Grand Central, me conectei à Wi-fi e liguei para minha mãe para contar sobre essa experiência, choramos horrores! 💓

Eu tinha esperanças de ver neve em Nova York? Até tinha, mas depois de ler tanto sobre o inverno novaiorquino acabei me conformando com a possibilidade de não vermos neve, mas Deus é tão lindo que no primeiro dia e no primeiro momento que pude vislumbrar a cidade, de fato, lá estava, aqueles floquinhos brancos caindo.

O mais legal é que estava apenas começando a nevar, então vimos o comecinho, vimos tudo branquinho cheio de neve e depois ainda tivemos a oportunidade de ver o lado não tão legal da neve também. Sim gente, tudo tem seu lado bom e seu lado ruim, assim como o metrô é rápido e prático mas sujo e fedido, a neve só é mágica enquanto está nevando.

As escadas para entrar nas estações de metrô ficam extremamente escorregadias, principalmente se você não está com botas apropriadas para neve, conforme os carros vão passando a neve vai ficando suja e forma uma espécie de lama, sem contar as possas de neve derretida que ficam escondidas debaixo da neve que ainda não derreteu, sim eu pisei em algumas dessas possas. 💔
Nosso host liberou para entrarmos um pouco antes do check-in, então depois de explorar um pouquinho o Grand Central e almoçar no Shake Shack nos dirigimos à nossa hospedagem no Upper East Side. Apenas deixamos as malas, tomamos um banho e fomos para a rua novamente aproveitar a neve e o frio, e que FRIO!

Fomos a pé até o Central Park e foi incrível! Tudo branquinho, se a Carol de 11 anos soubesse que um dia ela teria a oportunidade caminhar pelo Central Park nevando e de mãos dadas com aquele que até então era um amor impossível, ela morreria de inveja de mim 😅 Foi uma das experiências mais lindas que já vivi, nem o tombo que levei na neve conseguiu acabar com o romantismo. 😂

Saindo de lá fomos para o sul da ilha conhecer o memorial e o museu do 11 de setembro, queríamos muito conhecer um pouco mais sobre um momento tão marcante da história que nós dois tivemos a oportunidade de presenciar. Sei que soa estranho já fazer isso no primeiro dia de viagem, mas conseguimos ingressos gratuitos, então achamos melhor aproveitar a oportunidade.

Saindo do museu fomos conhecer a Oculus e nesse ponto já estávamos exaustos, então comemos uma pizza e depois voltamos para o nosso apartamento.

Segundo dia


Acordamos cedinho e fomos caminhando em direção ao Central Park, no caminho paramos em um Starbucks e pedimos um bagel com queijo e um café pequeno (que era enorme 😅) para cada um. Seguimos tomando o café e passeando pelo Central Park, que já estava com o caminho limpo, mas com as árvores e a grama branquinhos, até chegar ao Museu de História Natural, sim aquele do filme: uma noite no museu!

De acordo com o meu planejamento, nós ficaríamos no museu até o horário do almoço, mas o museu é enorme, tanto que quando chegamos vimos vários ônibus escolares, eu logo desanimei achando que o museu estaria lotado, sim, tinha muita gente, mas o museu era tão grande que as pessoas se espalharam por lá e em algumas partes do museu, não tinha quase ninguém.

Andamos muito lá dentro, vimos muita coisa legal mas ainda faltou muita coisa para ver, quando nos demos conta de que não conseguiríamos ver tudo, nós baixamos o app do museu e ele foi nos guiando para as áreas que mais tínhamos interesse, um google maps dentro do museu. 😅

Almoçamos por lá mesmo e quando já estávamos cansados pegamos o metrô e fomos em direção ao Columbus Circle. Algo que vale a pena citar, que me impressionou bastante é que em vários lugares que você visita, tem uma saída subterrânea que dá em alguma estação de metrô, no caso do museu, não precisamos sair e ir até a rua, o app nos guiou por um caminho por dentro do museu que dava no metrô, o mesmo nós vimos no Underground Market e no Rockefeller Center.

Lá no Columbus Circle, aproveitamos para conhecer a loja da Amazon e eu quase trouxe a Alexa pra casa, mas como ela só falava inglês, só eu ia conseguir usar, então desistimos. De lá fomos para o Underground Market procurar a loja da Elf, indicação da Laura Maravilhosa Peruchi! Lá tem muita maquiagem baratinha e de qualidade, aproveitei para comprar um aparelhinho de limpeza para o rosto, que chamo carinhosamente de primo pobre da Foreo 😂

Então pegamos o metrô sentido midtown para conhecer a avenida mais famosa do mundo! Chegamos antes de escurecer, caminhamos um pouco, depois ficamos sentados na escadaria da TKTS observando o movimento, conforme escurecia, a 25 de março novaiorquina foi ficando extremamente cheia! Aquele lugar tem uma vibe incrível, te dá uma vontade de ser produtivo sabe? 😅

Encerramos a noite no Applebee's, sugestão de restaurante bom mas que não fica tão cheio, embora esteja na Times Square, ele fica um pouco mais afastado. Comemos uma costelinha com barbecue MARAVILHOSA!

Terceiro dia


O terceiro dia foi mais quentinho, então decidimos conhecer a região do Brooklyn e atravessar a ponte a pé. Saímos cedinho, tomamos café no de lei (Starbucks) e seguimos em direção ao sul da ilha. Enquanto atravessávamos a ponte ficamos admirados com o skyline de Nova York, por mais que eu tenha achado a cidade incrível, ela é muito agitada para mim, então, não seria o primeiro destino que eu escolheria se fosse morar fora, mas se tivesse que morar lá, eu moraria no Brooklyn com certeza para poder ter a vista da ponte a da cidade ao fundo, é de tirar o fôlego!

Enquanto explorávamos a região do D.U.M.B.O, sentamos próximo ao carrossel para aproveitar a paisagem e para nossa surpresa vimos um pedido de casamento surpresa, tinha até uma emissora filmando, super romântico gente! 💖

A propósito, era dia dos namorados por lá, achei o máximo ver as pessoas andando pelas ruas, no metrô, com flores e balões, os estabelecimentos ficam todos decorados e até na farmácia tinha flores à venda. Nosso passeio pelo Brooklyn se tornou ainda mais especial por isso!
Almoçamos por lá, mas como começou a esfriar bastante, achamos melhor voltar para Manhattan e deixamos para conhecer Williamsburg em uma outra oportunidade. Fomos então conhecer a Century 21 e acabamos ficando a parte da tarde por lá, garanti meu presente de dia dos namorados e então voltamos para o apartamento um pouco mais cedo porque o Rodolfo começou a sentir dores no joelho, creio que por conta das longas caminhadas, as escadarias do metrô e o frio intenso. Passamos em uma farmácia para comprar uma joelheira para ele e aproveitamos e compramos algumas tranqueirinhas para jantar.

Quarto dia


Aproveitamos esse dia para explorar a região de midtown e conhecer as lojas e prédios mais famosos da cidade. Conhecemos a biblioteca pública, fiquei encantada lá dentro, a estrutura do prédio lembrava muito Hogwarts gente 😂, conhecemos o Bryant Park, mas achei melhor não me arriscar na patinação no gelo, já tentei ano passado em gramado e saí viva por um triz! 😅

Conhecemos o Empire State, a catedral de St. Patrick, o Rockefeller Center e entramos em várias lojas legais na quinta avenida. Almoçamos em uma hamburgueria maravilhosa e depois fomos conhecer o Museu de Arte Moderna, aproveitamos o dia de museu gratuito, estava extremamente cheio, então focamos no andar onde tinham as obras mais famosas, foi muito legal porque pegamos um iphone que eles disponibilizavam lá, em que você podia ouvir as explicações sobre as obras em português.


Saindo do museu fomos em direção à Times Square, lá aproveitamos para conhecer várias lojas legais, jantamos e voltamos para o apartamento exaustos depois de andar mais de 15km 😱

Quinto dia

No quinto dia já não estávamos mais com tanto pique como no começo da viagem 😅 mesmo assim andamos bastante,  acordamos cedinho, tomamos café no Starbucks de novo e fomos direto para o sul da ilha conhecer o Battery Park. Lá pegamos o ferry para Long Island para podermos ver a Estátua da Liberdade sem pagar nada. 😆

Adorei o passeio, nunca tinha andado de barco, então achei incrível, o barco era enorme e tinha até Wi-fi, tanto que liguei para os meus pais e eles viram a estátua junto com a gente, pena que estava MUITO frio naquele dia, no barco então, mais ainda, ainda bem que no barco tem a área aberta e uma fechada bem quentinha. Chegando em Long Island, desembarcamos e depois fomos em direção ao embarque novamente para voltar para a ilha, fomos e voltamos no mesmo barco.

Do Battery Park fomos andando sentido à Wall Street para conhecer os principais pontos turísticos, achamos uma TJ Maxx por acaso e comprei um tênis adidas maravilhoso e extremamente confortável por apenas 20 trumps.

Saindo de lá fomos em direção à NYU, a Universidade de Nova York, passeamos pelo Washington Square Park, vimos algumas casinhas de estudantes, mas saímos correndo de lá porque as pombas estavam usando suas miras a laser sem dó. 😂

Seguimos em direção ao Flatiron Building e vimos a gravação de um filme, mas não reconheci ninguém. Almoçamos no outback, tem tantos outbacks aqui no Brasil que me senti como se estivesse em um restaurante brasileiro. 😆 

Depois do almoço conhecemos o Empire State Building e só fiquei lembrando do episódio de How I Met Your Mother em que o Ted leva todos ao Empire State. De lá fomos conhecer a Macy's, que é gigantesca e depois a Bloomingdale's, vai que a Rachel estava por lá né!

Depois da tanto andar ficamos com preguiça de jantar, então paramos no McDonald's perto do apartamento e comemos por lá mesmo.

Sexto dia


O dia que o Rodolfo estava mais ansioso, saímos cedinho para poder participar do culto matinal na Hillsong Church, foi maravilhoso! Assim que chegamos vimos uma pessoa com uma plaquinha escrito falamos espanhol, nos encaminharam para uma galeria e o Rodolfo conseguiu ouvir o culto todo em espanhol. Eu ouvi em inglês mesmo, acho mais fácil que espanhol.

O tempo passou tão rápido que fiquei até triste quando acabou, Deus falou tanto comigo naquele dia, adorei tanto também, só conseguia ser grata por estar realizando mais um sonho!

Saindo de lá fomos bater perna, aproveitamos para conhecer o Madison Square Garden e depois fomos em direção à Times Square para assistir ao King Kong na Broadway. Antes almoçamos no Barilla, italiano maravilhoso, e depois fomos à Broadway.

Infelizmente eles não tinham nenhuma tradução simultânea para o Rodolfo, então contei a história para ele e quando ele tinha alguma dúvida durante o show, ele me perguntava.

O teatro estava lotado, e embora ele não fosse muito grande, tinha muita gente, ficamos sentados bem no alto. Lá eles tem até aqueles lanterninhas que a gente vê nos filmes antigos sabe? Uma hora o Rodolfo pegou o celular para ver as horas e o lanterninha meteu uma luz na cara dele, tadinho. 😂

Ao término do musical jantamos por lá mesmo e voltamos para o apartamento.

Sétimo dia

Nesse dia não conseguimos aproveitar muito porque não conseguimos dormir direito à noite, nosso host fez uma festa até altas horas, ficamos muito chateados porque tínhamos que seguir tantas regras e ele não teve a mínima consideração com a gente.

Saímos bem cedo, tomamos café e voltamos na Century 21 com a esperança de achar mais coisas e foi ótimo, pegamos a loja vazia e organizada, então conseguimos achar bastante coisa. Saímos de lá na hora do almoço, já estava bem cheia e o Rodolfo decidiu procurar por um hotel para passarmos nossa última noite sem aborrecimentos e para podermos descansar de fato.

Conseguimos um quarto no Row NYC, hotel MARAVILHOSO, então voltamos para o apartamento, juntamos nossas coisas e levamos para o hotel. Almoçamos lá no hotel, eles tem um food hall bem legal lá (uma espécie de praça de alimentação, tem comida para todos os gostos), e tiramos o fim de tarde para descansar um pouco. À noite fomos passear pelo centro e comprar mais alguns souvenirs para a família. Nos despedimos da Times Square e voltamos para organizar as malas para o dia seguinte.

Último dia


Nosso voo era noturno e nosso check-out ao meio dia, no entanto o hotel permitia que deixássemos nossas malas guardadas durante o dia, pagamos apenas uma gorjeta. Acordamos cedo, tomamos café no hotel, bem gostoso por sinal, depois fomos bater perna, comprar mais algumas coisinhas, o hotel ficava bem no centro, próximo à Times Square, então não precisamos pegar metrô. Próximo do horário do check-out nós voltamos e guardamos nossas malas.

Fomos almoçar e depois passear mais um pouco. O cansaço da viagem já estava batendo então decidimos ir mais cedo para o aeroporto, pegamos o metrô, do metrô fomos para o aerotrain e então chegamos ao aeroporto. Lá já fomos direto fazer o check-in em um totem, nele já foram impressos nossos cartões de embarque e os adesivos para colar nas malas, achei bem fácil.

Despachamos as malas, e fomos para a sala de embarque, confesso que nesse momento já bateu um alívio por ter dado tudo certo, viajar é uma delícia, mas eu sempre fico preocupada, sabe? Mas graças à Deus, aproveitamos bastante e não tivemos problema nenhum. Aproveitamos para conhecer o aeroporto, jantamos no McDonald’s e quando nos demos conta, já estava na hora do voo. 😀

Agora ficam só as lembranças e a gratidão por ter tido a oportunidade de realizar mais um sonho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário